Goioerê, domingo, 20 de agosto de 2017 Trocar cidade

Beleza

26/07/2017

Pele oleosa pode ter motivos que você nunca imaginou: estresse, receita caseira e mais!

Pele oleosa pode ter motivos que você nunca imaginou: estresse, receita caseira e mais!

A pele oleosa costuma ser facilmente identificada: há brilho, os poros costumam ser bem abertos e ocasionalmente (ou com frequência!) aparecem espinhas e cravos. “A pele pode chegar a ficar úmida. Basta passar a mão para sentir. O lado positivo é que as pessoas com essa característica não costumam ter pele desidratada, o que dá um ar mais jovial com o passar do tempo. Os sinais da idade demoram mais a aparecer”, conta a dermatologista e assessora da diretoria da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Tatiana Gabbi.

Apesar de ser uma característica comum entre as brasileiras, não há um grau para diferenciar as pessoas que têm pele oleosa.

“Com certeza há uma variação entre a população. Homens tendem a ter pele mais oleosa, por exemplo. Algumas mulheres têm oleosidade leve, outras mais fortes, mas não há um consenso quanto aos graus”, explica Carolina Marçon, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Mas, afinal, quem são os causadores da pele oleosa?

Pele oleosa: o que pode ser?

Fatores genéticos

A maior parte das pessoas que têm pele oleosa herdou a característica de seus descendentes como uma formação genética. O que significa que as glândulas sebáceas – as glândulas da pele - do indivíduo produzem mais sebo, acarretando no excesso de óleo na pele.

Quando isso acontece, há maior propensão para surgimento de cravos e espinhas, já que a produção elevada de sebo faz com que os poros da pele se abram e acabem acumulando sujeira.

Problema hormonal

Um dos hormônios que faz a produção de sebo se elevar é a testosterona. Portanto, pessoas que estão com os hormônios em desequilíbrio acabam ficando com a pele oleosa. Assim como os homens costumam ter peles mais oleosas.

Quem precisa aumentar o nível de testosterona no corpo, por indicação de um endocrinologista, por exemplo, vai notar a pele mais brilhante. O contrário também acontece, se por conta de um tratamento, for necessário reduzir a taxa do hormônio no organismo.

Parar de tomar anticoncepcional

Quando a mulher toma anticoncepcional, os hormônios costumam estabilizar, como se eles se "acalmassem". Assim, tendem a ver uma mudança especialmente no rosto. A pele fica mais seca, as espinhas e cravos aparecem menos.

Ao parar o medicamento, podem ver o contrário acontecer, já que os hormônios sofrem alterações.

Puberdade

Na puberdade, muitos hormônios que estavam “parados” começam a se “agitar” no corpo, alguns começam a ser produzidos por glândulas que até então estavam estáticas. Com a mudança, o corpo produz mais sebo, acarretando em um excesso de espinhas, inflamações na pele e cravos.

Com o tempo, as glândulas estabilizam suas produções e a pele pode criar uma característica fixa, seja ela produzindo óleo em excesso ou não. Também por isso, mulheres em menopausa têm pele mais seca, já que a produção de hormônios decresce nessa fase da vida.

Anabolizantes

Anabolizantes são esteróides androgênicos anabólicos, funcionam como hormônios sintéticos, derivados geralmente da testosterona. Esses tipos de substância costumam ser usados por pessoas que querem um corpo musculoso ou aumentar a performance esportiva, no entanto, causam vários efeitos colaterais perigosos à saúde.

Uma das consequências desse desequilíbrio hormonal provocado é o aumento da oleosidade na pele. Isso também acontece com alguns suplementos usados por atletas, como o whey protein.

Cigarro deixa a pele oleosa?

Sim, a nicotina presente nos cigarros também pode alterar a produção de hormônios no corpo. Isso significa que o fumante não terá o equilíbrio hormonal adequado e, consequentemente, terá mais oleosidade na pele.

Alimentos que deixam a pele oleosa
 
Apesar de ser um tópico polêmico entre nutricionistas e estudiosos, há teorias que indicam que alimentos ricos em açúcares também podem deixar a pele mais oleosa, como os refrigerantes, por exemplo.

Suplemento de vitamina B12

Algumas pessoas podem sentir certa diferença quando estiverem repondo a vitamina B12. Isso porque algumas bactérias do corpo vão reagir diminuindo a produção da vitamina, tornando-se agressivas.

Ao invés de consumir o sebo da pele, começam a produzir substâncias que vão inflamá-la, gerando mais oleosidade e espinhas.

Estresse

Quando estamos mais nervosos e tensos, nosso corpo libera cortisol, que é um hormônio produzido pelas glândulas suprarrenais.

O cortisol ajuda a relaxar e diminuir inflamações e quando estamos estressados, ou dormindo mal, o nível de produção deste hormônio tende a aumentar, provocando um desequilíbrio no organismo. Mais uma vez, a pele ficará mais oleosa.

Poluição

Estudos indicaram que as partículas de poluição que ficam na pele provocam inflamação, piorando a saúde da pele e a acne.

Além disso, pode fazer com que a pele fique mais oleosa, além de influenciar que outras doenças apareçam, como alergias.

Exposição excessiva ao sol

Basta abrir um solzinho para as pessoas resolverem expor o rosto, acreditando que isso secará as espinhas e dará um aspecto melhor à pele.

“Na verdade, o excesso de sol aumenta a oleosidade da pele, você toma sol e a impressão de que é antiinflamatório, chega a melhorar a acne. Em excesso, porém, é agressivo e ela reage produzindo óleo”, revela a dermatologista Carolina Marçon.

Produtos errados e receitas caseiras

Os tônicos e esfoliantes também parecem boas saídas, mas podem sabotar as pessoas, já que podem retirar a proteção da pele. “Temos uma película que protege nossa pele, mas quando usamos tônicos com álcool e esfoliantes muito agressivos, a pele enxerga de novo uma agressão e responde com mais produção de óleo”, continua ela.

A solução é evitar produtos com álcool em suas soluções, esfoliar a pele a cada 15 dias e evitar lavar muitas vezes o rosto durante o dia: o ideal é de 2 a 3 vezes ao dia. A mesma orientação para fórmulas agressivas serve para receitas caseiras copiadas da internet, que não possuem aval de um dermatologista.

Também vale lembrar que nem toda a pele oleosa precisa ser hidratada várias vezes ao dia. “O que mais acontece são pessoas se tratando em casa, sem ajuda de profissionais e testando receitas caseiras que podem chegar a ser perigosas”, diz a médica Tatiana Gabbi.

Como cuidar da pele oleosa?

Para melhorar o aspecto da pele, é importante manter hábitos saudáveis e seguir indicações de especialistas. “Tem que limpar o rosto e tirar a maquiagem sempre. Usar produtos oil-free e com acabamento matte”, explica Tatiana. Assim como o protetor solar é indispensável e seguir uma rotina de cuidados é imprescindível. “Fazemos tratamentos em consultório em alguns casos, mas o que mais vai dar resultado é o que a pessoa faz em casa”, continua ela.

A alimentação também merece cuidado: é ideal optar por alimentos que não tenham altos índices glicêmicos, por exemplo. “A pele é um reflexo dos nossos hábitos, precisamos incluir frutas, verduras e proteínas nas refeições, dormir bem, não ingerir álcool em excesso e praticar atividade física, que ajuda a aliviar o estresse, adequa o cortisol e regula o organismo”, declara Carolina.

Depois de tudo, o melhor é que os esforços trazem bons resultados. “É possível ter um controle o dia todo e uma diminuição significativa”, finaliza a especialista.

Fonte: GOIOERÊ | CIDADE PORTAL | VIX

OPINE!

 

CIDADE PORTAL
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso.