Goioerê, quinta-feira, 05 de dezembro de 2019 ESCOLHA SUA CIDADE
13/06/2019

Saiba como aumentar a segurança do celular e dos aplicativos de mensagens

Saiba como aumentar a segurança do celular e dos aplicativos de mensagens

O recente vazamento de conversas em aplicativos deixou muita gente preocupada com a segurança de suas próprias mensagens. O G1 selecionou dicas importantes de como aumentar a proteção do seu aparelho e também de suas contas em aplicativos de mensagens, como WhatsApp e Telegram.

As recomendações são:

1- Proteja o WhatsApp com senha

2- Proteja o Telegram com senha

3- Proteja a conta Google e o Apple ID com autenticação em duas etapas

4- Coloque uma senha no smartphone

5- Configure um bloqueio para a tela do celular

1- Proteja o Whatasapp

No WhatsApp, as mensagens ficam salvas apenas no aparelho do usuário e elas podem ser salvas em um serviço de armazenamento em nuvem, como Google Drive ou iCloud. Para proteger mensagens antigas, é possível desabilitar o backup do WhatsApp – isso impediria que as conversas fossem acessadas pelo backup salvo em serviço de nuvem. Por outro lado, a opção não daria acesso a esse material caso você mudasse de aparelho, por exemplo.

Para proteger ainda mais sua conta do WhatsApp, adicione a autenticação em duas etapas. Com ela, toda vez que alguém tentar entrar na sua conta do WhatsApp, terá de colocar uma senha de 6 números. O WhatsApp vai pedir essa senha depois de algumas semanas, para que você não esqueça dos números.

Para fazer a autentificação em duas etapas do whatsapp, siga estes passos :

1- entre no menu de configurações do Whatsapp;

2- clique em "Conta";

3- depois, em "Confirmação de Duas etapas",

4- e, finalmente, estabeleça uma senha e um e-mail de segurança.

 

?

Caso isso não seja feito, um hacker que tiver acesso a uma conta poderá criar uma senha. Quando o dono tentar retomar a conta, vai ter de colocar a senha configurada pelo hacker – portanto, não conseguirá acessar o app. Por isso, é importante que a autenticação seja feita pelo usuário.

2- Proteja o Telegram 

Ao contrário do WhatsApp, o Telegram funciona em nuvem, ou seja, as mensagens ficam armazenadas nos servidores da empresa. O aplicativo tem mais opções de segurança, mas é preciso ativá-las. Caso queira que suas conversas não fiquem salvas no servidor do Telegram, utilize o modo de "Chat Secreto".

Assim como no WhatsApp, é recomendável configurar uma senha para a autenticação em dois fatores. A diferença é no Telegram a senha pode ter letras, números e caracteres especiais – enquanto o WhatsApp só aceita uma senha de 6 números. Além disso, no Telegram é possível configurar uma dica de senha também.

Para fazer isso, siga estes passos:

  • no aplicativo, clique em "Configurações";
  • depois, clique em "Privacidade e Segurança";
  • e, então, clique em “Autenticação em duas etapas' para configurar uma senha.

 

Também é possível fazer definições de privacidade no Telegram na aba "Privacidade e Segurança". Por lá, você pode configurar quem tem autorização para ver algumas informações importantes, como o número de telefone, o último acesso e a foto de perfil. É possível até mesmo definir quem pode te adicionar em grupos.

Nessa aba, também existe a opção de configurar um período de tempo depois do qual as informações serão automaticamente deletadas caso o app fique inativo.

?

3- Proteja a Conta Google e o Apple ID

Se o seu telefone utiliza o sistema Android, ele será vinculado a uma conta do Google. Se for um iPhone, ele será vinculado a um Apple ID. Isso significa que a segurança da sua conta protege dados dos seus aplicativos, fotos sincronizadas com a nuvem e muito mais. Assim como nos aplicativos de mensagens, a verificação em duas etapas aumenta a segurança da sua conta, impedindo hackers de acessar seus dados apenas com o roubo da sua senha.

Google: No painel de segurança da sua conta Google, você pode ativar a verificação em duas etapas. O Google permite que você use um aplicativo gerador de código, códigos recebidos por SMS ou uma chave de segurança (método mais seguro, mas que requer a compra da chave). O uso do aplicativo gerador de código (Google Authenticator) é o método mais indicado.

Importante: Se você perder o acesso à sua linha ou ao seu telefone, você pode ficar impossibilitado de obter os códigos da verificação de duas etapas e não será possível recuperar o acesso à sua conta. Você deve gerar e guardar os códigos de backup, que são números de acesso fixos para serem usados no caso de problemas com o método preferencial.

Apple: Para ativar essa segurança extra a partir de um iPhone, siga estes passos:

  • clique em "Ajustes";
  • clique na opção de Apple ID, onde está o nome cadastrado no celular;
  • clique em "Senha e Segurança";
  • ative a autenticação em duas etapas, caso ela ainda não esteja ativada;
  • e adicione seu número aos "celulares confiáveis".

?

Na conta Apple, a autenticação em dois fatores é ligada aos dispositivos da empresa e ao número de telefone. Assim, para se conectar à conta da Apple, além de saber a senha, um invasor precisaria também do código que é enviado a um dos aparelhos cadastrados na Apple ID.

4- Coloque uma senha no celular 

A senha é o mecanismo de bloqueio mais seguro para o celular, mas também o menos conveniente. Você pode optar por usar o bloqueio por padrão, FaceID e TouchID (iOS) ou reconhecimento de digital em telefones Android compatíveis. Não utilize o reconhecimento facial em aparelhos Android: alguns telefones podem ser desbloqueados com uma foto ou vídeo da pessoa. Usando o FaceID, é recomendável manter as medidas extras de segurança, como aquela que exige "atenção". Com essa função, é preciso olhar para a câmera para ser reconhecido, o que aumenta a segurança do desbloqueio.

5- Configure o bloqueio automático da tela 

bloqueio do telefone é imprescindível para resguardar a integridade do aparelho. Bastam alguns segundos com o aparelho em mãos para autorizar uma sessão do WhatsApp Web, ler SMS ou até configurar um encaminhamento de e-mail. No pior dos casos, alguém pode instalar aplicativos espiões. O bloqueio do aparelho ajuda a impedir que isso ocorra. No entanto, para que a proteção seja efetiva, o bloqueio deve entrar em cena assim que o aparelho não estiver mais nas mãos do dono.

Android: os passos exatos dependem de cada modelo e versão do Android.

  • No painel "Configurar" ou "Configurações", primeiro procure por "Tela de bloqueio e segurança" ou apenas "Segurança".
  • Clique na "Engrenagem" ao lado da opção "Bloqueio de tela".
  • Escolha "Bloquear automaticamente", coloque a opção "Imediatamente".
  • Isso garantirá que o celular acione o bloqueio assim que a tela for desligada (ficar preta). Desative a opção de "Smart Lock", se estiver ligada.
  • Volte ao painel de Configurações e entre em "Tela". Toque em "Suspensão" ou "Modo de espera" e coloque algo entre 15 segundos e 1 minuto, dependendo do seu uso.

 

iOS: os iPhones são mais simples quando se trata de bloqueio de tela. A suspensão não pode ser configurada, mas é possível estabelecer um tempo para o bloqueio.

  • Vá aos "Ajustes" e depois em "Tela e Brilho".
  • Clique em "Bloqueio automático".
  • Selecione a opção "30 segundos".

 

Fonte: G1

Jairo R T Oliveira

Jairo R T Oliveira

Escreve sobre Tecnologia

Coordenador de Tecnologia do Site CIDADE PORTAL, Registro e Hospedagem de Sites, Elaboração de Sistemas Web.

Ler mais notícias

OPINE!

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. © 2017. Todos direitos reservados. Jornalista Responsável - Jairo Tomazelli - 0011632/PR

Desenvolvido por Cidade Portal