Goioerê, domingo, 25 de outubro de 2020 ESCOLHA SUA CIDADE
30/05/2020

O Pentecoste - Pr. Pedro R. Artigas

O Pentecoste - Pr. Pedro R. Artigas

O Pentecoste   

Pr. Pedro R. Artigas

 

Esta festa que no calendário cristão é comemorado 10 dias após a Ascensão de Jesus nos ensina alguns fatos interessantes.A igreja da qual sou pastor nasceu do Pentecoste de um Pastor em 1738, que ficou conhecido como a noite do coração aquecido de John Wesley, que na época ficou conhecida como os metódicos, daí nosso nome Metodistas, e aconteceu por acaso no dia 24 de maio três dias após o Pentecoste daquele ano. Wesley era pastor da Igreja Anglicana, e havia sido missionário no hoje chamado Estados Unidos, mas que naquela época era a Colônia da Georgia, e ao voltar de seu trabalho missionário foi confrontado em sua fé por uma violenta tempestade em alto mar, chegando a duvidar de sua fé.

E um grupo de cristãos moravianos que também estavam no navio, enfrentavam a tempestade cantando e orando como se nada estivesse acontecendo, e esta atitude desses cristãos levou Wesley a uma pequena congregação moraviana em Londres onde  teve seu coração aquecido pela leitura do estudo da Carta de Romanos que havia sido escrito por Lutero. Nascendo então a congregação de estudo dos metódicos, nome que lhes foi dado por seus companheiros da Universidade de Oxford, devido ao compromisso de todos os dias se reunirem para o estudo das Palavras Divinas.

Quando olhamos para a Igreja Católica, diversos de seus chamados santos tiveram também seu dia e momento de coração aquecido, quando foram fortemente chamados a se dedicar ao Senhor. Assim como o apóstolo Paulo teve seu chamado na estrada que levava a Damasco, também nós hoje podemos ter nosso chamado para estarmos na seara do Senhor de maneira mais viva e poderosa, não necessariamente servindo como pastor ou padre, mas tendo uma vida mais dedicada ao Senhor, refletido em sua vida diária. São testemunhos como esses que nos levam a mudarmos nossas atitudes como cristãos no serviço ao Senhor.

Mas vamos conhecer um pouco o que essa festa representou para o Cristianismo. Quando lemos o livro de Atos no seu capítulo 2 encontramos ali 120 pessoas reunidas no Cenáculo em oração, após a ascensão de Jesus, esperando a concretização da Palavra.

Na carta de Lucas denominada de Atos dos Apóstolos no capítulo 2, versículos de 1 a 13 temos o acontecimento.  Este texto vem nos falar a respeito do início maravilhoso, da Igreja e do ministério do Espírito Santo.

O Pentecostes era um festival judaico anual, conhecido como “Festa das Semanas” ou “Dia dos primeiros frutos”, e era uma celebração pelos primeiros frutos da colheita.Era comemorada sete semanas e um dia após o Páscoa, conforme está descrito no livro de Levítico capítulo 23, versículos 15-16: “A partir do dia seguinte ao sábado, o dia em que vocês trarão o feixe da oferta ritualmente movida, contem sete semanas completas.Contem cinquenta dias, até um dia depois do sétimo sábado, e então apresentem uma oferta de cereal novo ao Senhor”. Essa é a ordem de Deus para os judeus que estavam no deserto e que deveria ser seguida como festa importante do calendário. Sem dúvida era Deus já preparando o seu povo para o grande dia após a Ascenção do Senhor

Então aqueles homens e mulheres reunidos no Cenáculo, e todos os que estavam na rua participam de um momento extraordinário, “de repente” como um vento, mas não foi um vento, mas o som de um vento muito forte, invisível, ouvido por aqueles que estavam do lado de fora do Cenáculo,enquanto lá dentrolínguas como que de fogo, também não era fogo, Isso também pode ser uma alusão à sarça ardente – livro de Êxodo capítulo3 versículos 2 e 3, que simbolizava a presença divina, leiamos: “ Ali o Anjo do Senhor lhe apareceu numa chama de fogo que saía do meio de uma sarça. Moisés viu que, embora a sarça estivesse em chamas, esta não era consumida pelo fogo.Que impressionante! pensou. Por que a sarça não se queima? Vou ver isso de perto". A manifestação externa da descida do Espírito foi outro sinal do poder de Deus. Esse poder derramado sobre as vidas daqueles que ali estavam representa o início da Igreja de Cristo. Ali naquele momento, com a palavra do agora apóstolo Pedro, que não durou mais que 3 minutos, mais de 3.000 homens se converteram, ao que naquele tempo era chamado de Seita do Caminho,mas Pedro agora cheio do Poder do Espírito Santo, sua palavra é mais poderosa e intensa de fé, e os convertidos dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações, conforme Atos, capítulo 2, versículo 41,42: “Os que aceitaram a mensagem foram batizados, e naquele dia houve um acréscimo de cerca de três mil pessoas.

Se no A.T. apenas aqueles chamados ou ungidos por Deus recebiam o Espírito Santo, agora pelo novo concerto, ele é oferecido a cada crente, por isso devemos procurar e receber o batismo no Espírito santo. E nãosomente uma festa emocional, mas precisamos como nos diz a carta aos Efésios capitulo 5, versículo 18: “Não se embriaguem com vinho, que leva à libertinagem, mas deixem-se encher pelo Espírito”,o termo aqui empregado écontinuamente cheios do Espírito Santo para renovar regularmente nossa vida e ministério.

Precisamos exercer uma linguagem de oração como parte do fluxo do Espírito em nossa vida.

Agora o mais interessante, pois todos falaram em línguas desconhecidas aos que falavam, mas conhecidas aos ouvintes. Como em todos os lugares havia aqueles que não estavam entendendo o que estava acontecendo, e começaram a zombar, assim como hoje quando começamos a falar das maravilhas de Deus em nossas vidas, sempre tem alguém que zomba por não entender as palavras e nem ter o sentimento voltado à Deus.

Essa é a atuação do maligno no mundo, além de cegar, ele também torna os ouvidos surdos para as palavras de poder e maravilhas do Espírito nas vidas daqueles que buscam essa experiência.

Muitas vezes nos tornamos religiosos, e esquecemos que o nosso Senhor é Deus vivo, que habita em corações submissos. Pense nisso. Shalom.

Fonte: Pr. Pedro R. Artigas

Pr. Pedro R Artigas

Pr. Pedro R Artigas

Escreve sobre Contato Pastoral

Pedro Rivadavia Artigas 

Pastor Metodista formado em 1985 pelo CEMETRE 

Especializado em Aconselhamento Familiar 

Formado em Técnico Químico em 1969 - Colégio Osvaldo Cruz - SP 

Especialização em Marketing pela ADVB - SP em 1974 

Atualmente aposentado Cultivando Orquídeas

Ler mais notícias

OPINE!

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. © 2017. Todos direitos reservados. Jornalista Responsável - Jairo Tomazelli - 0011632/PR

Desenvolvido por Cidade Portal