Goioerê, domingo, 27 de setembro de 2020 ESCOLHA SUA CIDADE
20/06/2020

A fé em Jesus - Pr. Pedro R. Artigas

A fé em Jesus - Pr. Pedro R. Artigas

A fé em Jesus

Pr. Pedro R. Artigas
 

Estamos vivendo em meio a uma pandemia de saúde e social. A doença nos afastou socialmente das pessoas que amamos, e interferiu poderosamente nos relacionamentos profissionais, por mais que queiramos estamos tolhidos em todos os movimentos que fazemos ou poderíamos fazer.

O apóstolo João em sua primeira Carta do exílio em Patmos pode ser uma maravilhosa fonte para esse momento, pois ele vive o afastamento de todos que amava. Ele vai viver o isolamento social, não por doença, mas devido sua fé em Cristo, creio que deve ter sido muito mais doloroso e dolorido que o nosso. Apesar de estarmos em isolamento continuamos em nossas casas, podendo nos comunicar com nossos amigos, conversarmos via tecnologia com eles, e até fazemos pequenos vídeos para todos. Mas o apóstolo João estava só, não podia, e não tinha toda a parafernália que hoje temos para nos comunicar. João conversa e sente a Cristo em seu isolamento, e o resultado são suas cartas enviadas

Ele não fala a uma igreja em particular, mas a todos os cristãos daquele tempo, e, por meio desses amados suas cartas vem falando a totalidade das Igrejas Cristãs através dos tempos. E suas cartas nos mostra que a fé, a caridade (como amor), e a obediência se relacionam entre si. Vejamos o capítulo 5, nos versículos de 1 a 5, suas palavras: “Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo, é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido.Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus, quando amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos.Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são pesados. Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé.Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus?”

A fé nos leva a um relacionamento amoroso com Deus, e o amor por ele leva ao amor por outros cristãos e à obediência de seus mandamentos. Eles não são pesados, pois os benefícios práticos da obediência a todas as leis de Deus contribuem totalmente com o proveito e a realização humana daqueles que aprendem a sua aplicação para a vida. Nossa fé traz vitória sobre o mundo, fornecendo uma arma espiritual através da qual podemos combater tanto as tentações quanto as perseguições da sociedade dos ímpios e incrédulos.

Esta palavra de João tinha endereço certo, pois os gnósticos negavam que Jesus fosse o Cristo. João torna a fé nesta verdade em teste essencial do nascido de Deus. Aqui de outra forma João está retomando a narrativa do capítulo 4, versículos 20-21, onde o apóstolo escreve: “Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?
E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão”.

Pois também podemos dizer que aquele que ama a Deus, ama a seus filhos, e que aquele que ama os filhos de Deus ama a Deus.Os mandamentos de Deus não são pesados, não são fardos opressivos e exaustivos, devido ao amor que colocamos sobre eles.

Guardar o mandamento de amar os irmãos é possível por causa da vitória que o cristão tem sobre o mundo. Pois a fé se baseia no conhecimento da Palavra de Deus e em seu caráter. O espírito do mundo está em oposição a Deus. Quando nos determinamos a permanecer na fé somos libertadosdo mundo, de suas influências controladoras sobre nós. Devemos saber que aqueles que nasceram de novo jamais podem ser definitivamente derrotados.

E o tempo presente em vencer, implica em batalha contínua, e podemos ter a certeza da vitória. A vitória que venceu o mundo é a nossa fé, e a nossa fé está sobre o fato de que Jesus é o Filho de Deus. É a crença na divindade total (filho de Deus) e na verdadeira humanidade (Jesus) do Deus-homem.

Quando aceitamos estas verdades em nossa vida, somos transformados, temos a graça do Pai sobre nós o tempo todo, pois nosso coração está voltado para a prática do amor e do cumprimento das verdades de Deus em nós. E aí o isolamento social obrigatório não se torna um fardo, mas em momentos de meditação e contemplação na Palavra do Senhor, e nos enriquece mais para a prática do cristianismo verdadeiro, e não do social somente. Shalom.

Fonte: Pr. Pedro R. Artigas

Pr. Pedro R Artigas

Pr. Pedro R Artigas

Escreve sobre Contato Pastoral

Pedro Rivadavia Artigas 

Pastor Metodista formado em 1985 pelo CEMETRE 

Especializado em Aconselhamento Familiar 

Formado em Técnico Químico em 1969 - Colégio Osvaldo Cruz - SP 

Especialização em Marketing pela ADVB - SP em 1974 

Atualmente aposentado Cultivando Orquídeas

Ler mais notícias

OPINE!

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. © 2017. Todos direitos reservados. Jornalista Responsável - Jairo Tomazelli - 0011632/PR

Desenvolvido por Cidade Portal