Goioerê, domingo, 27 de setembro de 2020 ESCOLHA SUA CIDADE
25/07/2020

A santidade de Moisés

A santidade de Moisés

A santidade de Moisés

 

Pr. Pedro R. Artigas

Igreja Metodista

 

Vivemos hoje em tempos extremamente práticos, distanciados das maravilhas divinas. Cada um de nós vive a procura do nada.

Nossa crônica desta semana veremos um homem que buscou a glória de Deus, mesmo não se achando apto para o trabalho que deveria ser feito.Este momento é quando desce pela segunda vez do monte onde havia ido para receber as tábuas da lei. Na primeira vez que sobe ao monte e lá permanece para trazer as tábuas, sua ausência fez com que os hebreus buscassem um novo deus para si, fundindo peças de ouro para esse novo deus. A desculpa de Arão seu irmão é simplesmente maravilhosa, é a desculpa de todo homem que está em falta.

O povo mau e incrédulo, tendo Moisés demorado demais e não mandado notícias suas, quis voltar para o Egito, mas como não tinham deuses para irem à frente, pediu os brincos das orelhas das mulheres, botou-as no fogo e saiu dali um bezerro. Ou seja, o fogo tinha fabricado um deus! Assim como nós quando estamos com problemas, inventamos qualquer desculpa para nossos atos errados.Moisés ao descer a montanha, ira-se com a postura do povo e com seu irmão que não soube guardar a espera pelas tábuas da Lei. E esse problema nos afeta nos dias de hoje, pois em nossa praticidade, esquecemos que tudo tem seu tempo. O povo que mal havia saído do cativeiro precisava ver todas as cosias acontecerem rapidamente.

Após as primeiras tábuas terem sido destruídas no bezerro de ouro, Moisés fica por um tempo no arraial, se preparando e esperando que Deus novamente permita que ele suba ao monte para novas tábuas. Durante esse tempo ele monta sua tenda longe do arraial, para que o povo entenda a Santidade de Deus. E sua tenda se chamava de “tenda do encontro”, e o Senhor falava com Moises cara a cara, como um amigo, conforme o livro de Êxodo capítulo 33, versículo 11: “ E falava o Senhor a Moisés face a face, como qualquer  fala com o seu amigo; depois tornava-se ao arraial; mas o seu servidor, o jovem Josué, filho de Num, nunca se apartava do meio da tenda”.Será que hoje nosso relacionamento com Deus também pode ser considerado como a conversa entre amigos? Ou hoje não temos mais essa intimidade com Ele. Muitas vezes temos afazeres demasiado, que torna impossível essa intimidade, e conversamos com Deus como o fazemos com o médico, poucas palavras e muitos pedidos, sem nenhum louvor ou agradecimento. 

A nova subida faz com que Moises busque um maior momento com Deus. E entre seus pedidos está em ver a glória do Senhor, e esse procedimento de Moisés abranda a ira de Deus contra o povo e novo concerto é feito.E quando chega ao Monte Horeb, e Deus se achega a Moisés, ele proclama: “o Senhor! O Senhor Deus compassivo e bondoso, tardio em irar-se e grande em misericórdia e fidelidade”, e curva-se com o rosto em terra para adorar, e proclama: “Senhor, se agora alcancei favor diante de ti, continua no meio de nós; porque este povo é teimoso. Perdoa a nossa iniquidade e o nosso pecado e toma-nos por tua herança”.

Hoje em meio a esta terrível doença que aflige ao mundo todo e não adianta buscar culpados, é hora de nos afligirmos e buscarmos a Deus como Moisés buscou, e foi por Ele atendido. Eao descer seu rosto brilhava de tal modo que os israelitas não podiam olhar para ele.

O brilho simbolizava a aceitação de sua liderança por Deus, em contraste a rejeição da parte de Israel. Esse brilho era a consequência da comunhão íntima com Deus. Sua comunhão se aprofunda quando ele atrás da penha vê a glória (shekina) de Deus.

Quando retorna seu rosto resplandece e precisa de um véu, pois pessoas pecadoras não podem fitar um rosto iluminado pela santificação, pois o brilho retrata apenas uma centelha refletida da santidade de Deus.

Precisava então cobri-lo para que as pessoas pudessem olhá-lo pois o brilho intenso afastava as pessoas. Ainda hoje o brilho de Deus afasta as pessoas de nós, pois quando brilhamos da glória não precisamos falar, a glória fala por nós. As nossas ações falam das maravilhas de Deus.

Hoje é tempo de podermos viver esse momento de maravilha de Deus basta que nos aproximemos d’Ele com verdade e testemunho.

Moisés não precisou ficar explicando, pois,sua própria aparência falava por ele, vivamos hoje em Cristo e tenhamos nossa aparência mudada pela glória do Senhor. Shalom.

 

 

Fonte: Pr. Pedro R. Artigas

Pr. Pedro R Artigas

Pr. Pedro R Artigas

Escreve sobre Contato Pastoral

Pedro Rivadavia Artigas 

Pastor Metodista formado em 1985 pelo CEMETRE 

Especializado em Aconselhamento Familiar 

Formado em Técnico Químico em 1969 - Colégio Osvaldo Cruz - SP 

Especialização em Marketing pela ADVB - SP em 1974 

Atualmente aposentado Cultivando Orquídeas

Ler mais notícias

OPINE!

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. © 2017. Todos direitos reservados. Jornalista Responsável - Jairo Tomazelli - 0011632/PR

Desenvolvido por Cidade Portal