Goioerê, segunda-feira, 20 de novembro de 2017 Trocar cidade

Esportes

14/07/2017

CBB projeta anúncio de novo técnico da seleção masculina em até sete dias

CBB projeta anúncio de novo técnico da seleção masculina em até sete dias

Depois de a seleção feminina iniciar a preparação para a America Cup na quinta-feira, a equipe masculina virou o foco da corrida contra o tempo da Confederação Brasileira de Basquete (CBB). Desde o fim da suspensão imposta pela Federação Internacional (Fiba), a entidade máxima do basquete nacional tenta arrecadar recursos para contratar um novo técnico em tempo da preparação para a competição contiental masculina, entre 25 de agosto e 3 de setembro. O substituto do argentino Rubén Magnano deve ser anunciado na próxima semana.

- Tenho certeza de que o presidente (Guy Peixoto) em no máximo sete dias vai divulgar qual vai ser o técnico da seleção masculina. Nós o assessoramos, mas é uma coisa do presidente. Ele vai tomar a decisão mais correta possível para que a seleção masculina siga o mesmo caminho da feminina. Isso já está bem desenhado na cabeça do presidente - disse Manoel Castro, vice-presidente da CBB, que representou a entidade na apresentação da seleção feminina.

Por causa da suspensão, a CBB ficou sem receber os recursos do Comitê Olímpico do Brasil (COB), pré-definidos pela Lei Agnelo Piva. Essa verba já retornou ao orçamento. O presidente Guy Peixoto já afirmou que tem conversas avançadas e inclusive um compromisso assinado com um patrocinador máster, mas não sabe quando o dinheiro vai cair na conta, já que a burocracia pode atrasar a oficialização da parceria. Além disso, o COB bancava o salário do antigo técnico da seleção masculina, o argentino Rubén Magnano.

- Estamos atrás de patrocinador. Nossa ideia é ter uma comissão técnica fixa na seleção. É inadmissível que uma confederação do tamanho da do Brasil não tenha recursos para pagar um técnico e o assistente técnico. Estamos conversando com o COB, que está bem sensível com essa questão. O problema é que a gente tinha muita divergência em prestação de contas com o COB. Chegamos a um denominador comum dentro da Lei, dentro da regularidade para que a gente tenha recursos para o pagamento desses profissionais - disse Manoel Castro.

Além dos recursos para pagar os técnicos, a CBB precisa ter verbas para prover uma estrutura de treinamento para a seleção a exemplo da equipe feminina. A preparação do time de Carlos Lima está sendo bancada pelas parcerias com a Prefeitura de Pindamonhagaba e com a Funvic (Fundação Universitária Vida Cristã). O vice-presidente da CBB ressaltou o resgate da credibilidade da entidade junta aos investidores.

- As pessoas voltaram a acreditar no basquete brasileiro novamente. As pessoas tinham parado de acreditar no basquete, nos gestores. Eles viram nessa gestão, através da transparência, das ações que estamos tomando, limpando a casa. A questão é credibilidade. A cidade de Pindamonhagaba e a Funvic trouxeram o basquete brasileiro para cá, para fazermos esses preparativos para a America Cup. Eles abraçaram o projeto. A CBB começou a entrar nos trilhos agora para fazer as coisas corretas. A coisa vai fluir - disse Manoel Castro.

Fonte: GOIOERÊ | CIDADE PORTAL | GLOBO ESPORTE

OPINE!

CIDADE PORTAL
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso. © 2017. Todos direitos reservados.

Desenvolvido por Cidade Portal